CONHEÇA NOSSAS PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS

Acreditamos que empreender é transformar nossa vida e tudo em torno dela. Sabemos que a qualidade do nosso produto é um reflexo da qualidade das nossas relações com as pessoas, com os nossos parceiros e com o planeta.

O uso do plástico: carta aberta da Coco Legal ao público

Desde o seu início, em 2002, a Coco Legal entende seu trabalho como sendo mais do que possibilitar o consumo de água de coco e de suco de laranja de qualidade.

Entregar um produto saudável não é o suficiente, ele precisa ser feito em um sistema também sadio para as próximas gerações. Por isso, ao longo do tempo a empresa vem adotando práticas para cuidar do seu impacto socioambiental, como triturar e compostar toda a casca do coco na plantação, reusar a água da indústria na irrigação do coqueiral e no último ano realizou mais de 27 mil entregas de triciclo. Hoje, a Coco Legal é, inclusive, referência de processo produtivo e sustentabilidade para outras empresas mais jovens do mesmo segmento.

Até 2019, a Coco Legal não tinha uma proposta para se responsabilizar pelos seus resíduos plásticos (em sua grande maioria garrafas PET). Atualmente, a empresa comunica seu primeiro passo para endereçar o impacto das garrafas (e também seus rótulos, tampinhas e plástico dos engradados), se comprometendo a compensar com créditos de logística reversa 107% do volume de suas embalagens!

Por ser um assunto novo para muitos, existe muita confusão em relação aos termos e o que eles significam, o que infelizmente permite que algumas empresas se aproveitem disso para se pintar de verde e, assim, assumirem uma postura oportunista frente aos seus clientes. A Coco Legal opta pela transparência, que apesar de ser menos “marketeira”, honra um dos valores inegociáveis da marca, que é a Verdade.

Mas afinal, o que quer dizer compensar com créditos de logística reversa?

Essa é uma das formas mais interessantes que as empresas têm para se responsabilizar por seus resíduos de embalagens que co-geram com seus clientes, valorizando o trabalho de milhares de Brasileiros que atuam na cadeia de reciclagem, a fim de dar conta de todo o lixo que geramos como sociedade.

Através da compra de créditos de logística reversa, investimos nomercado de resíduos, direcionando o dinheiro para as organizações mais sérias, humanas e eficientes. Esse dinheiro é usado para diversos fins, dependendo do contexto da organização que separa os resíduos, como por exemplo a melhoria das condições de trabalho e compra de equipamentos como prensas.

Na prática

O crédito de logística reversa é emitido quando a Coco Legal paga um valor para um parceiro que coletou, separou material reciclável e está vendendo esse material para uma indústria recicladora. Dessa maneira a organização que coletou, separou e vendeu o resíduo para a indústria de reciclagem tem seu trabalho valorizado, pois recebe da indústria recicladora e também da Coco Legal.

Quando uma empresa compra o crédito gerado por aquele material, esse mesmo material não pode servir de crédito para mais ninguém. Ou seja, para todas as empresas conseguirem comprar 100% dos créditos relativos às suas embalagens, o mesmo volume de embalagem que todas as empresas botaram no mercado deve ser coletado, separado e vendido de volta para a indústria de reciclagem.

Imagina só quão diferente seria o mundo nesse cenário!

E porque 107%?

Apesar do acordo setorial do nosso mercado nos obrigar a compensar no mínimo 22,5%, o primeiro número que surgiu como proposta na Coco Legal foi 100%. 100% passava uma ideia de que estávamos fazendo a nossa parte.
Na medida em que outros projetos começaram a ser pensados, percebeu-se a importância de aumentar esse número. Mais do que o que isso representa materialmente, o 7% é um ato simbólico que sugere abertura, humildade, reconhecimento de que o plástico é uma questão séria, sem respostas dadas e, acima de tudo, de soluções coletivas.

107% para a Coco Legal passa uma ideia de incompletude, de que não “chegamos no 100% e acabou”, pelo contrário, ainda há muito trabalho pela frente e esse é apenas um primeiro passo para endereçar o plástico nas nossas embalagens.

Compostagem também é rotina

Sabia que a casca do coco leva em torno de 10 anos para se degradar naturalmente? Um problema ambiental relevante nas grandes cidades do Brasil, em especial no Rio de Janeiro e outras cujo consumo de coco é grande, é a destinação da casca do coco para os aterros sanitários, o que prolonga ainda mais a sua decomposição, além de torná-la mais poluente pela natureza da decomposição que ocorre nesses aterros.

Existem soluções ecológicas para a casca de coco mas muitas empresas acabam não aderindo a essas práticas, por elas demandarem investimento e trabalho, o que as torna, na visão de muitos empresários, economicamente inviáveis. Isso quer dizer que esse processo de reciclagem pode dar prejuízo financeiro ao invés de lucro, o que acaba refletindo na falta de tratamento adequado desse material orgânico que, cada vez mais, vem se tornando um problema socioambiental.

A reciclagem desse material orgânico é um dos processos que utilizamos desde o início da Coco Legal e apesar de algumas empresas mais jovens seguirem nossos passos, ainda há muitas que não tratam esse resíduo.

Na Coco Legal nenhum coco que utilizamos desde o início das nossas atividades, em 2000, foi parar em qualquer aterro sanitário.

Iniciamos triturando as cascas de coco e utilizando como adubo na nossa plantação de 2.400 pés de coco em Papucaia, pois a sua casca é rica em potássio e ajuda muito na produtividade do coqueiral.

Em determinado momento, as vendas da Coco Legal se tornaram maiores do que a nossa própria plantação era capaz de atender, e com isso foi necessária a expansão através da compra de cocos, o que tornou o volume de cascas maior do que a capacidade da nossa plantação de absorvê-las como adubo.

Por conta desse grande volume, começamos a compartilhar nossas cascas e fibra de coco com produtores rurais vizinhos e fizemos um investimento em duas usinas de beneficiamento de casca dos cocos.

Com a nossa expansão, em janeiro de 2019 estreitamos a parceria com nosso principal fornecedor de coco, tendo agora disponível um coqueiral de 40.000 pés, para onde toda nossa casca é destinada, triturada e utilizada como adubo.

De bike até você!

Uma simples mudança na rotina é capaz de impactar o meio ambiente de forma favorável, em prol do planeta e até do bem estar.

Entre os principais responsáveis pela emissão de CO2, estão os veículos automotores. Ao optar pelo uso da bicicleta como transporte, você deixa de emitir qualquer gás e outros componentes dos combustíveis fósseis que impactam diretamente nas mudanças climáticas.

Esse estilo de vida (e locomoção) vem ganhando preferência com a busca crescente por alternativas que aliviem o intenso trânsito de carros e ônibus nas ruas. Atualmente, essa mudança e vem conquistando espaço e apoio, inclusive no mundo corporativo.

Tendo isso em mente, na Coco Legal o triciclo também vem sendo uma realidade. Fomos pioneiros nas entregas de bike no mercado de água de coco, sendo hoje mais de 3.000 por mês, pedalando por bairros do centro e zona sul do Rio de Janeiro. Hoje não fazemos mais entregas usando triciclos devido às limitações geográficas, como as inclinações dos bairros.

Poder colaborar para a redução do uso de combustíveis fósseis e emissão de gases através de nossas entregas, é uma das atitudes que torna a Coco pioneira e referência entre empresas do mercado.

A consciência do desgaste físico também está em pauta, afinal toda a energia que economizamos de combustível passa a ser gerada pelos nossos ciclistas. Uma das medidas para que haja um percurso confortável durante as entregas, foi adaptar as rotas dos entregadores com um trajeto de distância apropriado, baseado nas limitações físicas x tempo de entrega.

Unir a motivação, força e vontade, colaboram, e muito, para que nossas entregas tenham seu impacto no meio ambiente amenizado.

Além disso, o triciclo, por ser menor que qualquer veículo automotivo, evita engarrafamentos ao longo da via, o que torna a locomoção bem mais rápida e acessível.

Na Coco Legal, valorizamos a inovação que adiciona valor aos nossos produtos e melhora nosso impacto socioambiental. Essa é mais uma forma de colaborar e cuidar dos que mais amamos, além de estimular uma vida cheia de bem estar.

Global GAP

A GLOBAL G.A.P. é uma organização internacional privada que estabelece normas voluntárias para a certificação de produtos agrícolas.

Ela funciona como um manual de Boas Práticas Agrícolas em todos os lugares do mundo.

A norma foi elaborada para que as empresas certificadas reafirmem perante os consumidores que a produção alimentar nas suas unidades de produção agrícola é realizada através da minimização dos impactos negativos no meio-ambiente, redução do uso de insumos químicos e garantia de uma abordagem responsável relacionada à saúde e segurança dos trabalhadores. Essa certificação é realizada por mais de 100 organismos independentes e reconhecidos em mais de 80 países.

Agricultura segura e sustentável a nível mundial! Nossa plantação é certificada Global G.A.P, seguimos adotando práticas cada vez mais sustentáveis e nos tornando referência quando se trata de segurança e confiabilidade.

Reaproveitamento da água: de dentro para fora

A água é um recurso essencial para a vida das plantas, animais (incluindo nós) e toda a natureza, entretanto, seu uso irresponsável ainda é um problema que enfrentamos no dia a dia.

Na Coco Legal, toda a água proveniente da higienização dos cocos é reaproveitada na irrigação do nosso coqueiral de Papucaia.

Esse ciclo é uma importante atitude de colaboração em prol do meio ambiente e uma forma de amenizar impactos de produção da indústria.

A magnitude da escassez de água e outros problemas ambientais podem parecer grandes demais para serem resolvidos por pessoas comuns ou empresas pequenas, entretanto, é importante lembrar que a sociedade é também o resultado das ações de todos, e nenhuma ação é pequena demais para ser insignificante.

Nossos parceiros

A parceria para fazer essa compensação foi feita entre Coco Legal, Minha Coleta e a Prórecicle Ambiental. Essa última, localizada no Jardim Gramacho, contrata mais de 50 pessoas, majoritariamente ex-catadores, todas CLT, garantindo condições de trabalho além do que é exigido por lei que, infelizmente, não são usuais no mercado.

Esse é um passo importante para a Coco Legal mas sabemos que é, também, insuficiente. Estamos juntos nesse planeta de frágil equilíbrio e precisamos encarar com seriedade os desafios que enfrentamos como humanidade.

A Coco Legal tem o privilégio de ter muitos clientes que se preocupam com o equilíbrio socioambiental do país e do mundo e que estão envolvidos de diversas formas, seja no seu prédio, bairro e/ou na sua empresa, em ações que favoreçam um mundo regenerado. Achamos que talvez alguns de vocês possam e queiram contribuir para nossa jornada, trazendo seu olhar, experiência e também alguns dados que podem nos ajudar a pensar próximos passos.